Dicas de Vestuário

Veja a seguir como fazer nó em uma gravata.

BORBOLETA
Dificilmente será possível fazer um nó como esse perfeito. Mas esse é justamente o charme desse estilo.



SEMI-WINDSOR
Neste tipo de nó, que é mais cheio, indica-se um colarinho mais aberto e gravatas com tecidos leves.



FOUR-IN-HAND
Esse é o nó mais simples. Pode ser usado com qualquer tipo de gravata ou colarinho.



WINDSOR

Um tipo de nó que exige um colarinho bem aberto e não pode ser feito em gravatas com tecidos pesados.



FRAQUE - É originário do "hábito de frade". Fazia parte do guarda-roupa do homem elegante de 1840, na Inglaterra, onde, até os dias atuais, só é utilizado durante o dia. No Brasil ele é considerado formal e usado à noite. A sua modelagem lembra um pinguim, com duas abas longas atrás, sem o corte na cintura, na parte da frente.

MEIO-FRAQUE - Os mais tradicionais têm um só botão e, por isso, deixam à mostra a camisa e a gravata, razão pela qual devem estar sempre bem alinhados. É uma versão tropical do fraque. Utiliza-se com colete de cetim cinza claro e com camisa branca, seja social ou à rigor.

CASACA - Do francês "casaque". É o traje mais formal e só deve ser utilizado à noite, em casamentos importantes. Há casacas com ou sem gola. Têm o paletó cortado na cintura, na parte da frente, formando um "V". As lapelas são de seda e os mais tradicionais têm 3 botões de cada lado. As Casacas que têm a aba de traz curta são chamadas Meia-Casacas.

SUMMER - Tem o paletó mais aberto, apropriado para o verão, como o próprio nome diz. As lapelas costumam ser em tecidos brocados, discretos, em tons azuis e vinhos, além do preto. É utilizado com camisa do tipo vovô e gravata Plastrom, no mesmo tom da lapela. Entretanto, se a lapela for preta há liberdade de escolha na cor da gravata.

TÚNICA - Foram usadas na antiguidade até a Idade Média. Há dois tipos básicos de Túnicas, as Tradicionais e as do tipo Jaquetáo. As Túnicas, em geral, têm a gola abotoada no pescoço, mas há aquelas que possuem a gola um pouco mais aberta. Dizem que os termos foram originados a partir dela.

SMOKING - Também conhecido com Tuxedo nos Estados Unidos (lá não existe a acepção desta palavra), homenagem a um Club onde o mesmo foi lançado por um socialite de nome Griswold Lorillard, em 1866. Tornou-se peça formal ao longo do tempo, com o aprimoramento das versões até chegar-se nos paletós atuais, com golas arredondadas, tipo xale, ou com lapelas pontudas com acabamento de cetim preto. Os mais tradicionais têm um só botão. Há também os de abotoamento duplo ou jaquetão com 04 botões" (smoking jacquet). Devem ser sempre utilizados com camisa do tipo vovô plissada, gravata borboleta e faixa horizontal. Para os Noivos admite-se o uso de colete e gravata do tipo Plastrom (escreve-se com "m" mesmo).

DINNER JACKET - Paletó preto ou azul-marinho com lapela de cetim, brocado ou liso. O preto é ideal para ser usado à noite. Suas lapelas são pontudas (conhecidas como gola de bico) e as gravatas que os acompanham devem ser de sua cor e tecidos. Ele é curto atrás, parecendo-se com uma Casaca sem cauda e o "V" na parte da frente é bem mais aberto.

RAFINATTI - Possui a lapela (ou gola) em tecido fassoné brocado, cujo comprimento vai da altura do pescoço até a base (barrado). Possui 03 botões e é ideal para usar com camisa de gola padre, com botão forrado ou bottom.

ACESSÓRIOS

Agora que você escolheu a sua roupa, a qualidade e a combinação dos acessórios é de fundamental importância para complementar a sua decisão. Mal escolhidos podem por tudo a perder.

COLETES - É ideal para acompanhar ternos no inverno. A frente deve ser do mesmo tecido do terno e a parte traseira em cetim para não fazer volume e deslizar com facilidade. Peça de uso obrigatório em ocasiões formais.

GRAVATA - Do francês "cravate". É simbolo de elegância que permite certa criatividade e personifica o traje. São como bandeiras e devem estar sempre bem ajustada no pescoço e cobrir a fivela do cinto, nem mais, nem menos. Sua largura e estamparia variam em função da moda, mas as formais são sempre mais estreitas, do tipo Hermés, que vendem muito na Europa. Nunca use mais de quatro cores, preferindo as lisas ou com padronagem listradas. Tenha cautela na escolha das estampas, pois as gravatas podem indicar determinação, resolução, frivolidade, falta de responsabilidade ou até imaturidade. Boas gravatas são aquelas que dão os melhores nós. Atualmente utiliza-se muito a seda jacquard (em relevo) que desliza mais facilmente e tem boas estamparias. Há também as chamadas "regimentais" que são as gravatas listradas que combinam para todas as ocasiões. Estas são muito utilizadas pelos padrinhos ou grupos (escolas, empresas) devido a uma tradição das escolas e regimentos britânicos. A gravata borboleta é uma opção pessoal, mas poucos sabem fazer o seu laço, daí a preferência pelos laços prontos, presos com velcro. Nestes casos deve-se ter muito cuidado na escolha da gravata para não parecer enfeite.

MEIAS - No caso de roupas à rigor utilize-as sempre na cor do sapato. Acompanhando blazers há mais liberdade na escolha da cor, com preferência por cores escuras seguindo a do próprio blazer ou da camisa, se for o caso. Em geral não seguem a cor das calças. As meias escocesas podem acompanhar os blazers no inverno. Nunca use meia branca com terno.

SAPATOS - Os sociais têm que ter boa qualidade e o solado de couro. Podem ser lisos, com fivelas discretíssimas ou de amarrar (somente para ternos ou meio-fraques). Muito cuidado com os detalhes que chamam a atenção, tipo fivelas grandes, correntes e outras decorações que pegam mal. Sapatos pretos e marrons escuros são para todas as combinações, mas podem seguir a cor do terno. Quando o assunto é formal, prefira os clássicos de cor preta. Cuidado também com os modelos "última moda", embora as regras estejam menos rigorosas nos últimos tempos, com relação a estilo e formas. Estão em moda os sapatos de estilo mais pesado e de ponta quadrada, mas prefira-os nas discotecas. Os noivos devem sempre usar sapatos novos, pois vão ajoelhar-se na presença dos convidados. - Os sociais têm que ter boa qualidade e o solado de couro.

CALÇA - É um item importante, cuja referência básica é que sirva na cintura, pois o resto é ajustável. Nunca as use muito justa ou com os fundilhos caindo. A bainha não pode ficar empapada, sendo o tamanho ideal caindo sobre os sapatos, sem arrastar no chão. As pregas, por sua vez, só podem abrir quando há movimento. A barra italiana ou barra virada só fica bem para ocasiões menos formais, com o uso de terno.

CINTOS - Devem ser da mesma cor do sapato. Evite os muito compridos ou muito curtos. Sapatos em verniz, cinto em verniz. Com roupas à rigor, em geral, este é um acessório dispensado. - Devem ser da mesma cor do sapato.

CAMISAS - Na linha de trajes à rigor são conhecidos quatro tipos, a saber:

SOCIAL - São lisas e possuem mangas compridas, colarinho social e punhos, que podem ser simples ou duplo, para o uso de abotoaduras. Só devem ser usadas com gravata social.

CAMISA VOVÔ - São camisas à rigor, que podem ser lisas ou plissadas. Ideal para acompanhar Smokings com gravata borboleta ou Meio-Fraques com gravata Plastrom.

CAMISA DE PADRE - Possuem gola padre e botões trabalhados no colarinho.

CAMISA STREAPER - Têm o pé de gola preto, vinho ou marinho. Podem ser usadas com botões cobertos ou com bottom.

COLARINHO - Como o próprio nome diz, é diminutivo de colar mesmo. Cobrem a gola e são conhecidos 4 tipos, a saber:

SEM BOTÕES - Indicado para compromissos cerimoniais em qualquer horário.

COM BOTÕES - É mais esportivo, portanto, menos formal.

COM PONTAS ABERTAS: - É convencional e pede um nó de gravata mais cheio, do tipo Windsor. Lembram os chamados "colarinhos italianos".

COM PRESILHAS E SEM BOTÕES - É feito para sustentar o nó da gravata mais alto. Ideal para pescoços longos.

Os colarinhos podem ser ainda arredondados, pontudos ou não pontudos, estes últimos, indicados para acompanhar as roupas escuras de ocasiões formais. Os colarinhos e punhos brancos são indicados apenas para os homens do mercado financeiro como roupa de trabalho.

GOLAS - Em latim significa "garganta". Para acompanhar as roupas à rigor existem dois tipos de gola:

GOLA PADRE: é uma linha esportiva que dá uma aparência mais jovial e por esta razão são utilizadas em camisas do tipo streaper. Não se usa com gravata e sim acompanhado de bottom ou botão trabalhado.

PUNHOS - São a proteção das mangas de camisas situados entre o antebraço e as mãos. Podem ser de dois tipos:

CLÁSSICOS: têm uma só casa e em geral, dois botões, sendo um para ajuste do punho. Quando a fenda da manga é mais comprida, utiliza-se um outro botão para encobrir o braço.

CASEADOS SEM BOTÃO: próprio para o uso de abotoaduras. Está em desuso a nível popular, principalmente os de punho duplo, devido algumas dificuldades para lavar e passar. É recomendado para ocasiões formais, acompanhado de bonitas abotoaduras.


OUTROS ACESSÓRIOS

PRENDEDOR-DE-GRAVATA - É um acessório opcional que deve ser preso na camisa e cerca de 20 centímetros acima da ponta da gravata.

CARTEIRAS - Nunca vá a uma ocasião formal com carteira na mão ou aparente. Guarde-a sempre no bolso do paletó. Saindo do trabalho direto para uma cerimônia vale uma pasta executiva de boa qualidade, em cor escura e preferencialmente em couro.

SUSPENSÓRIOS - Ideal para fixar calças de pessoas gordas e barrigudas, por baixo do colete. Não o utilize junto com o cinto e nunca com roupas à rigor.

JÓIAS - Limite-se a um relógio de boa qualidade.

CELULAR - Já pode ser considerado um acessório, mas só o utilize no bolso. Evite andar com ele nas mãos ou preso à cintura.

ALGUNS DETALHES FÍSICOS

OMBROS CAIDOS: prefira ombreiras maiores e utilize sempre coletes. As camisas não devem ter colarinho alto.

QUADRIL LARGO: paletó reto de até 3 botões, cobrindo abaixo dos quadris.

TRONCO MAIS COMPRIDO DO QUE AS PERNAS: paletós curtos, evitando os do tipo jaquetão. Prefira ombreiras sempre discretas

PERNAS COMPRIDAS EM RELAÇÃO AO TRONCO: paletós e coletes mais compridos do que o habitual. Gravatas estreitas com listras.

FISICULTURISTAS: paletós com obreiras discretas. Devem ser largos e confortáveis, mas, não muito folgados. As calças também seguem esta linha. Prefira coletes lisos e gravatas sem estampas. É deselegante e feio usar roupa social apertada, tentando mostrar os músculos.

BARRIGUDOS: paletós modelo Jaquetão e mais compridos. Prefira sempre paletós que abotoem, contanto que os botões não fiquem estourando. Coletes em tecidos mais finos.

CURIOSIDADES

Na Idade Média, a maioria dos casamentos ocorria no mês de junho (para eles, o início do verão).

A razão é simples:

O primeiro banho do ano era tomado em maio; assim, em junho, o cheiro das pessoas ainda estava tolerável. Entretanto, como alguns odores já começavam a ser notados, as noivas carregavam buquês de flores junto ao corpo, para disfarçar.

Daí termos maio como o "mês das noivas" e a origem do buquê de noiva explicada.

Deve-se tomar um cuidado especial na escolha do traje a ser usado. Para tanto, leva-se em consideração os locais a serem visitados e a programação a ser seguida.

Gênero

Vestuário

Ocasião

Período

Tecido

ESPORTE

Calça comprida

Compras

Manhã

Brim

Bermuda

Viagens

Tarde

Veludo cotelê

Jeans

Clubes

 

Couro

 

Praias

 

Camurça
ESPORTE FINO, PASSEIO, TENNUE DE VILLE.

Tailleur

Almoços

Manhã

Linhos

Saia e blusa

Teatros

Tarde

Sedas mistas

Pantalona

Cinemas

Noite

Viscoses

Chemisier

Jantar

 

Antílopes

 

Íntimos

 

Lãs puras

PASSEIO COMPLETO OU SOCIAL

 

Eventos bem formais: jantares, coquetéis, casamento após às 18 horas, óperas e grandes comemorações.

Pantalona

Coquetéis

Tarde

Organzas

Tailleur

Chás

Noite

Sedas

Vestidos

Desfiles

 

Casimira

 

Jantares informais

 

 

O termo Passeio Completo é utilizado exclusivamente para designar trajes masculinos com uso obrigatório de gravatas.

HABILLÉ é o feminino de BLACK-TIE

Vestidos

Formaturas

Noite

Sedas

 

Casamentos

 

Rebordados

 

Jantares formais

 

Rendas

 

Solenidades

 

Tafetá de seda Casimira

BLACK-TIE

"Smoking" ou Tuxedo

Recepções

Noite

HABILLÉ

GALA OU RIGOR

Vestidos longos

Recepções (gala)

Noite

Brocados

 

 

 

Bordados

 

 

 

Sedas puras


Fique Atento!
Não seja alvo de surpresas que podem lhe causar embaraço, tenha sempre na nécessaire em seu ambiente de trabalho:

Aparelho de barba
Creme de barbear
Cortador de unhas
Desodorante
Escova de dente
Creme dental
Fio dental
Pente
Perfume 


CURIOSIDADES SOBRE A GRAVATA

História

Desde o surgimento da humanidade o homem sentiu a necessidade de amarrar um pedaço de pano ao seu pescoço, os antigos egípcios usavam um nó particular como sinal de proteção aos falecidos. A gravata que conhecemos hoje surgiu de uma invenção croata, tanto que a palavra “cravatta” significa "algo de origem croata".

Símbolo de Fidelidade

"Diz a lenda que namoradas e esposas ao se despedirem de seus namorados e maridos croatas, para as várias e detestáveis guerras impostas, costumavam dar lenços para que os mesmos se lembrassem delas e pra dá-los força e coragem durante os momentos difíceis longe de casa. Além do mais significava que estavam pensando e rezando por elas. Usando seu lenço o homem mostrava que respeitava sua escolhida e vice-versa. Este costume, de maneira simbólica, quer dizer fidelidade a uma mulher enfatizando a fidelidade como uma virtude moral."

Por volta da primeira metade do século XVII, os soldados croatas obtiveram grande sucesso em suas batalhas, e sua cavalaria se tornou famosa por toda Europa com seu característico acessório que conseqüentemente se tornou símbolo de cultura e elegância entre a burguesia.

Carlos II ao retornar do exílio trouxe a Inglaterra este acessório de ultima moda. Dez anos depois o acessório era utilizado em toda Europa e em várias colônias do continente americano.

Inclusive é importante lembrar que durante a revolução francesa, gravatas pretas eram utilizadas como sinal de protesto.

Em 1925 o gravateiro “Jesse Langdorsf” patenteou uma gravata comprida, menos enrugada e mais estável, nasceu aí a gravata que conhecemos hoje fabricada com três pedaços de tecidos e cortada ao viés.

Vaidoso, o monarca francês encantou-se com o efeito de um pedaço de cambraia branca em volta da gola dos uniformes dos soldados croatas acampados nos arredores de Paris.
Luís XIV mandou que o alfaiate da corte adaptasse um pedaço fino de pano branco à gola de seus uniformes. O povo francês gostou da inovação e a aprimorou: Em vez de usá-la aberta sobre o peito, amarrou-a em volta da gola.

Mesmo com tantas historias o importante é que hoje desfrutamos desde belo acessório, que nos faz sentir mais elegantes e respeitosos.

O que combina com gravata?

A tendência atualmente é:

Gravata lisa, com grafismos ou com estampas geométricas.
É o tom da modernidade.

Preta, verde, lilás, ou mesmo laranja, as cores podem ser as mais variadas desde que sejam tomadas as devidas precauções na hora de combiná-las com a cor da camisa.

As estampadas exigem o dobro de cuidado. A escolha errada de uma gravata, pode destruir um terno. Algumas peças valorizam as composições monocromáticas. Na dúvida, prefira peças da mesma cor. Terno, camisa e gravata cinzas, por exemplo, em tonalidades diferentes.

Para a noite, abuse com todo o estilo preto total.

O marrom, que já chegou a ser considerado de mau gosto, está em alta. Os prendedores continuam na gaveta. Não devem ser usados.

CUIDADO COM A MEDIDA DA GRAVATA

Sempre na altura do cinto. E por falar em cinto, evite os tons dourados da fivela, bem como pulseiras. Esse visual 'novo rich' está totalmente por fora.

MEIAS

Meia branca, NÃO. Elas só vão bem com tênis. Prefira uma tonalidade entre a calça e o sapato.

Cuidado com estampas, bordados, etc. A meia deve ser discreta. Quanto menos aparecer, melhor.

Os sapatos devem estar sempre impecáveis. Dizem alguns que os sapatos falam muito sobre a pessoa. A tendência atual pede pelo bico quadrado ou ligeiramente alongados.

Os mais modernos e ousados podem até arriscar um sapatênis, entretanto, é preciso ter muita atitude para desfilar este visual.
Boutique do Aluguel © 2010 - Todos os direitos reservados
Desenvolvido pela